terça-feira, abril 07, 2015

Fifty Shades of Grey | Cinquenta Tons de Cinza - E. L. James

Oi, pessoas, tudo bem? Ando com muita saudade deste cantinho, sabia? Semana passada num grupo do face descobri um autor que era leitor aqui do blog e fiquei muito surpresa... e feliz! Bateu aquela saudade de escrever um pouco, e, com este tempinho chuvoso do Rio de Janeiro, que tal escrever enquanto aguarda a filhota sair da escola? Combinação perfeita, não é?! Então, vamos escrever!

Bem, eu sei que todos vão pensar "nossa, você só resenhou este livro agora?!", mas sim.. só li recentemente. Para falar a verdade eu não tive nenhuma vontade de ler esta trilogia até que foi lançado o filme e a crítica (e as feministas) enlouqueceram. Daí fui assistir o filme (não dizem que a curiosidade matou o gato?), e, acabei tendo que ler os livros. Vou resenhar os livros um a um, e aqui vai apenas a resenha do primeiro.

É um livro razoavelmente grande, com uma escrita muito legal, fácil de entender, cômoda de ler. Achei o livro bem melhor do que minhas expectativas, afinal, o que esperar de uma trilogia que aparentemente surgiu como fanfic de Crepúsculo? Não que eu tenha muito contra Edward e Bella, aliás, li duas vezes a trilogia e comprei uma edição legal da saga recentemente. Mas, não imaginava um conteúdo legal na trilogia de E.L. James e isso me surpreendeu um pouco.

Apesar de ter gostado, é um romance bem cliché: a mocinha, Ana, com sua beleza oculta, sua falta de jeito.. e o bad boy, Christian Grey, poderoso e macho-alfa, que se encontram por força do destino e se apaixonam loucamente.. e, dentre muitas confusões, ela acaba amansando o bad boy e eles são felizes para sempre.

Ok, pausa aqui. Neste meio tempo, ocorrem muitas cenas de sexo calientes e bem descritivas. Na verdade, esta é a parte chata do livro. Sim, o livro é grande, a história é "legal", mas a meu ver a maior parte do livro é formada por cenas de sexo muito grandes e isso, pra mim, faz perder o fluxo da história. Não é meu estilo definitivamente, e, confesso que por diversas vezes quis pular páginas e páginas. Pra mim, perde  fluxo da história. Pra mim este tipo de cena tem que ser inserida cuidadosamente pra não ser nem de menos e nem demais. Realmente achei que a autora podia tratar melhor estas partes do livro, embora eu entenda que as editoras querem isso e uma parte do público também.

A questão que pegou a crítica: o BDSM, junto com a questão da dominação diária. Mas, eu não vi este bicho de 7 cabeças que a galera viu.. sorry, mas realmente não vi uma Ana completamente submissa (no mal sentido) e sendo coagida por Christian. Pelo contrário, Ana é cheia de vontades e o desafia a todo tempo, e, em momento algum ele faz algo que ela não tenha concordado.

O livro acaba de uma maneira bem brusca, e nos deixa sem saber exatamente por que Christian é assim, dominador, com esta necessidade de controlar e de punir. E é isso que parte o coração de Ana, pois ela não entende esta necessidade.

Este primeiro livro tem foco no relacionamento dos dois, em como se conhecem, o quanto eles se sentem atraídos, no início da relação deles, e não tem nenhuma aventura, ou ação. Porém, as últimas cenas são de partir o coração.

Em breve falarei sobre os outros livros e do filme...

2 comentários:

J. Pinto disse...

Muito interessante a sua análise da Obras. Sobre você somente resenhar agora nem se preocupe..nunca leio um livro quando ele esta na moda..sou antiquado...meu amigo Jonas Martins, escritor, que esta me ajudando em meu blog, já que é muita tecnologia para mim, gosta muito de seu blog eme recomendou. Não me arrependo de seguir a recomendação.

Lana Hawk disse...

Obrigada!! Foi o Jonas mesmo que me motivou a escrever novamente!!